Login

Olá, faça o seu login.

Os Ingredientes

Ele é o cara.

O lúpulo é o cara. É fundamental. É tão importante que deveria existir a prática de informar no rótulo da cerveja qual é a variedade de lúpulo usada. Da mesma forma que os vinhos informam qual é o tipo de uva, as cervejas deveriam informar qual é o tipo de lúpulo.

Ele é o que deixa a cerveja amarga, mas não é somente isso não é amargo por amargo. Dá muito aroma e muito sabor é o que diferencia uma cerveja sem graça para uma super cerveja. Apreciadores de cerveja experientes conhecem e sabem diferenciar o perfil de lúpulo da cerveja que estão bebendo.

O que é Lúpulo.

É a flor fêmea de uma trepadeira da espécie Humulus Lupulus da família Cannabacea. E se reproduz através de rizomas, ou seja, vários caules nascem da mesma raiz, quase uma praga. É raro no Brasil e normalmente presente em locais de clima frio. A Alemanha foi um dos primeiros produtores de lúpulo e foi quem definiu o padrão de usar lúpulo em todas as cervejas. É um conservante natural e bactericida o que se acredita ter sido o motivador para adicionar à cerveja. Foi o substituto do antigo Gruit que era um preparado de ervas, cascas, folhas e flores que era adicionado nas cervejas antigas.

Hoje os maiores produtores de lúpulo são Alemanha, Estados Unidos e China. Dizem que não é possível produzir lúpulo no Brasil em escala industrial devido o nosso clima. Mas a verdade é que existem poucos estudos e poucos agricultores que realmente tentaram. O perfil do lúpulo caracteriza um estilo de cerveja e se queremos um estilo de cerveja brasileiro o primeiro passo é produzir uma variedade de lúpulo brasileira.

 

 

As Resinas.

O lúpulo possui resinas e óleos no seu interior conhecidos como lupulina. É uma resina amarela e viscosa. E a lupulina possui Alfa Ácidos. É a quantidade de alfa ácido que irá determinar o potencial de amargor de um tipo de lúpulo. Existem variedades mais amargas com 14% de alfa ácido e variedades menos amargas com 4%. Como a lupulina é um óleo, naturalmente não se mistura na água e na cerveja. É durante o processo de fervura intensa que ocorre a isomerização da lupulina integrando o óleo à cerveja. O lúpulo é adicionado durante a fervura da cerveja e a depender do momento da adição ele terá um perfil mais amargo ou mais aromático.

Quando a adição ocorre no início da fervura ocorre maior absorção ou isomerização do alfa ácido na cerveja deixando-a mais amarga. Quando a adição ocorre no meio da fervura costuma contribuir no sabor na cerveja e quando a adição ocorre no fim da fervura confere aroma. Existe também o Dry Hopping que consiste em adicionar o lúpulo frio na maturação após a fermentação. Quando o lúpulo é adicionado usando a técnica de Dry Hopping confere a cerveja aromas extremos tornando a degustação algo realmente sensorial e diferenciada. Normalmente as cervejarias se orgulham do dry hopping e informam isso nos rótulos.

 

 

O IBU.

IBU é uma escala muito utilizada e virou um padrão no mundo da cerveja que significa International Bitterness Unity ou Unidade Internacional de Amargor. Determina o índice de amargor de uma cerveja. Uma cerveja com IBU 10 é uma cerveja pouco amarga, uma cerveja com IBU 60 é considerada muito amarga e IBU 100 é extremamente amarga, criando uma escala onde é possível comparar diferentes cervejas pelo seu índice de amargor.

O IBU faz todo o sentido a partir do momento que você deixa de beber cervejas comuns. Muitas cervejas já estão adotando essa informação nos rótulos e todas as cervejas Overture informam o IBU. Esse é um dado que permite saber o perfil da cerveja e o que esperar dela. É fundamental para bebedores experientes.

As variações.

O perfil do lúpulo determina o estilo da cerveja e também o país de origem do estilo. Alguns dos principais lúpulos são Hallertau, Saaz, Cascade, Centennial, Columbus, Amarillo, TNT, Simcoe, Nelson Sauvin. Existem mais de 100 variedades e um mundo fascinante a ser explorado. Cada variedade é única e possui um perfil muito específico.

Em geral os lúpulos alemães são conhecidos por um perfil mais conservador, herbáceo, terroso e levemente picante. Enquanto que os lúpulos americanos são considerados mais inovadores com aromas cítricos, florais e frutados de maracujá, laranja, uva verde, manga e pinho. Hoje a tendência é explorar os inovadores lúpulos americanos. Explore os sentidos!

Continue lendo...